domingo, 15 de abril de 2018

3º Domingo da Páscoa

Anúncio do Evangelho (Lc 24,35-48)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 35os dois discípulos contaram o que tinha acontecido no caminho, e como tinham reconhecido Jesus ao partir o pão. 36Ainda estavam falando, quando o próprio Jesus apareceu no meio deles e lhes disse: “A paz esteja convosco!”37Eles ficaram assustados e cheios de medo, pensando que estavam vendo um fantasma. 38Mas Jesus disse: “Por que estais preocupados, e por que tendes dúvidas no coração? 39Vede minhas mãos e meus pés: sou eu mesmo! Tocai em mim e vede! Um fantasma não tem carne, nem ossos, como estais vendo que eu tenho”.
40E, dizendo isso, Jesus mostrou-lhes as mãos e os pés.
41Mas eles ainda não podiam acreditar, porque estavam muito alegres e surpresos. Então Jesus disse: “Tendes aqui alguma coisa para comer?” 42Deram-lhe um pedaço de peixe assado. 43Ele o tomou e comeu diante deles.
44Depois disse-lhes: “São estas as coisas que vos falei quando ainda estava convosco: era preciso que se cumprisse tudo o que está escrito sobre mim na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”.
45Então Jesus abriu a inteligência dos discípulos para entenderem as Escrituras, 46e lhes disse: “Assim está escrito: ‘O Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos ao terceiro dia, 47e no seu nome serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém’. 48Vós sereis testemunhas de tudo isso”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

sábado, 14 de abril de 2018

2ª Semana da Páscoa - Sábado

Evangelho (Jo 6,16-21)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

16Ao cair da tarde, os discípulos desceram ao mar. 17Entraram na barca e foram em direção a Cafarnaum, do outro lado do mar. Já estava escuro, e Jesus ainda não tinha vindo ao encontro deles.
18Soprava um vento forte e o mar estava agitado. 19Os discípulos tinham remado mais ou menos cinco quilômetros, quando enxergaram Jesus, andando sobre as águas e aproximando-se da barca. E ficaram com medo. 20Mas Jesus disse: “Sou eu. Não tenhais medo”. 21Quiseram, então, recolher Jesus na barca, mas imediatamente a barca chegou à margem para onde estavam indo.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Dom Mariano participa da 56º Assembleia Geral dos Bispos

Os bispos do Brasil irão estão reunidos na 56ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (AG CNBB), que está acontecendo desde o dia 11 e vai até o dia 20 de abril, em Aparecida/SP. Na ocasião, as discussões, estudos e decisões estão sendo em torno das “Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil”. O Bispo Dom Mariano Manzana está presente na Assembleia Geral.
De acordo com o Bispo Auxiliar de Brasília (DF) e Secretário-Geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, o objetivo é atualizar as diretrizes em vigor, aprovadas em 2010, por ocasião da 48ª Assembleia Geral da CNBB. “Essa atualização é motivada especialmente pelo magistério do Papa Francisco e pela publicação pela Congregação para o Clero do documento ‘O dom da vocação presbiteral’, que constitui a chamada Ratio Fundamentalis Institutionis Sacerdotalis”.
A Assembleia Geral da CNBB está tratando ainda de outras temáticas e problemas emergentes da vida das pessoas e da sociedade, sempre na perspectiva da evangelização.
A abertura oficial da 56ª Assembleia Geral aconteceu no dia 11 de abril, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, no Santuário Nacional, onde acontece a maior parte dos trabalhos dos bispos. Os trabalhos durante a assembleia começaram com a missa diária no Santuário Nacional com laudes, sessões pela manhã e à tarde. No final de semana acontece o Retiro dos Bispos e os encontros se concluem no dia 20 de abril.
Sobre as eleições de outubro, Dom Leonardo Steiner afirmou que a CNBB poderá, como em anos anteriores, apresentar aos fiéis e à sociedade uma mensagem lembrando a importância das eleições. “É sempre uma palavra de ânimo e conscientização, não de substituição da consciência”, afirmou.
Durante a reunião do Conselho Permanente, em fevereiro passado, foi aprovado o projeto de um subsídio para ajudar nas reflexões de grupos sobre as eleições 2018. Segundo o Secretário-Geral da CNBB, a proposta é contribuir para a formação política das pessoas de boa vontade, assim como motivá-las a participar do processo político, não apenas em momento de eleições. O texto deverá ficar pronto após a 56ª Assembleia Geral.

Fonte: Adaptado do site da Diocese de Mossoró-RN

2ª Semana da Páscoa - Sexta-feira

Evangelho (Jo 6,1-15)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus foi para o outro lado do mar da Galileia, também chamado de Tiberíades. 2Uma grande multidão o seguia, porque via os sinais que ele operava a favor dos doentes. 3Jesus subiu ao monte e sentou-se aí, com os seus discípulos. 4Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus.
5Levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão estava vindo ao seu encontro, Jesus disse a Filipe: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?” 6Disse isso para pô-lo à prova, pois ele mesmo sabia muito bem o que ia fazer. 7Filipe respondeu: “Nem duzentas moedas de prata bastariam para dar um pedaço de pão a cada um”.
8Um dos discípulos, André, o irmão de Simão Pedro, disse: 9“Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas o que é isso para tanta gente?” 10Jesus disse: “Fazei sentar as pessoas”. Havia muita relva naquele lugar, e lá se sentaram, aproximadamente, cinco mil homens.
11Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes. 12Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca!”
13Recolheram os pedaços e encheram doze cestos com as sobras dos cinco pães, deixadas pelos que haviam comido. 14Vendo o sinal que Jesus tinha realizado, aqueles homens exclamavam: “Este é verdadeiramente o Profeta, aquele que deve vir ao mundo”. 15Mas, quando notou que estavam querendo levá-lo para proclamá-lo rei, Jesus retirou-se de novo, sozinho, para o monte.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

2ª Semana da Páscoa - Quinta-feira

Evangelho (Jo 3,31-36)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

31“Aquele que vem do alto está acima de todos. O que é da terra, pertence à terra e fala das coisas da terra. Aquele que vem do céu está acima de todos. 32Dá testemunho daquilo que viu e ouviu, mas ninguém aceita o seu testemunho. 33Quem aceita o seu testemunho atesta que Deus é verdadeiro. 34De fato, aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus, porque Deus lhe dá o espírito sem medida.
35O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão. 36Aquele que acredita no Filho possui a vida eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho não verá a vida, pois a ira de Deus permanece sobre ele”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

2ª Semana da Páscoa - Quarta-feira

Evangelho (Jo 3,16-21)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

16Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. 17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele. 18Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito.
19Ora, o julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más. 20Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas. 21Mas quem age conforme a verdade aproxima-se da luz, para que se manifeste que suas ações são realizadas em Deus.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

terça-feira, 10 de abril de 2018

Papa rezará o Santo Rosário na abertura do mês mariano

Momento de oração será no Santuário do Divino Amor, abrindo o mês de maio

Da Redação, com Boletim da Santa Sé 
Papa abrirá o mês mariano com a oração do Rosário / Foto: Wesley Almeida – Canção Nova

Em 1º de maio, o Papa Francisco irá ao Santuário do Divino Amor, em Roma, para a oração do Santo Rosário em abertura ao mês mariano. A informação foi anunciada nesta terça-feira, 10, pelo diretor de imprensa da Santa Sé, Greg Burke.
No primeiro ano de seu pontificado, Francisco já havia tido essa iniciativa de rezar o Rosário, porém por ocasião da conclusão do mês mariano. Em 31 de maio de 2013, Francisco rezou o Rosário com os fiéis na Praça São Pedro, gesto repetido em 31 de maio de 2014, na Gruta de Lourdes – Jardins do Vaticano.
Além da ida ao Santuário do Divino Amor, Burke também declarou hoje que Francisco presidirá, em 5 de maio, em Tor Vergata, o encontro com o caminho Neocatecumenal, por ocasião dos 50 anos do início do “Caminho” em Roma.

Fonte: Canção Nova

Encontro Nacional reunirá lideranças jovens no RJ

ENJMC deste ano acontecerá de 11 a 15 de julho e terá como tema: “Chamados e enviados para serem profetas das nações”

Da redação, com Jovens Conectados
/ Foto: Divulgação
O Encontro Nacional de Jovens de Movimentos e Novas Comunidades (ENJMC) será realizado, neste ano de 2018, no Rio de Janeiro. Programado para acontecer de 11 a 15 de julho, o evento, que é promovido pela Comissão Episcopal Pastoral da Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), terá como tema: “Chamados e enviados para serem profetas das nações”.
Realizado a cada três anos em diferentes cidades do Brasil, o ENJMC reúne lideranças juvenis de todo o país, das mais diversas expressões eclesiais, e convida a juventude para uma constante experiência missionária. Vivenciando a unidade na diversidade, os jovens são chamados a partilhar suas experiências e ouvirem o que a Igreja no Brasil tem a oferecer na Evangelização para a Juventude.
Depois de 5 anos da JMJ Rio, os jovens se reencontrarão na capital carioca e também viverão, de acordo com a organização do evento, a expectativa para a JMJ do Panamá, em 2019. Poderão participar do evento de 10 a 15 líderes jovens por Movimentos e Novas Comunidades, entre 18 e 29 anos, além de 1 assessor adulto de cada expressão. As inscrições para o ENJMC já estão abertas e podem ser feitas no link disponibilizado pelo site dos Jovens Conectados (inscricoes.jovensconectados.org.br), até o dia 15 de Junho.

Identidade Visual

O ENJMC segue nos preparativos. O evento conquistou uma nova identidade visual, que fala da diversidade dos Carismas e convida à vivência das virtudes teologais. De acordo com Philipe Carvaho, designer responsável pela criação da Identidade Visual do ENJMC, a diversidade das cores do cartaz traduz a comunhão e unidade do evento, que envolve tantos Carismas e expressões diferentes. “A vivência teologal, tendo como centro o Cristo, de onde provém todos os dons, todas as virtudes e todos os carismas”, afirmou.

Fonte: Canção Nova

2ª Semana da Páscoa - Terça-feira

Evangelho (Jo 3,7b-15)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 7b“Vós deveis nascer do alto. 8O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito”.
9Nicodemos perguntou: “Como é que isso pode acontecer?” 10Respondeu-lhe Jesus: “Tu és mestre em Israel, mas não sabes estas coisas? 11Em verdade, em verdade, te digo, nós falamos daquilo que sabemos e damos testemunho daquilo que temos visto, mas vós não aceitais o nosso testemunho. 12Se não acreditais, quando vos falo das coisas da terra, como acreditareis se vos falar das coisas do céu? 13E ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. 14Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

“Gaudete et Exsultate” será a nova exortação do Papa Francisco

Com o tema santidade no mundo contemporâneo, exortação “Gaudete et Exsultate” será lançada na próxima segunda-feira, 9

Da redação, com Boletim da Santa Sé

“Gaudete et Exsultate” é o nome da nova exortação apostólica do Papa Francisco que será divulgada na próxima segunda-feira, 9. O terceiro documento desse tipo no pontificado de Francisco trata do chamado à santidade no mundo contemporâneo. 
A informação foi anunciada pelo Vaticano nesta quinta-feira, 5, informando que o documento será apresentado em coletiva de imprensa na Sala de Imprensa da Santa Sé com a participação do vigário geral do Papa para a diocese de Roma, Dom Angelo De Donatis, do jornalista Gianni Valente e de Paola Bignardi, da Ação Católica.
Em cinco anos de pontificado, Papa Francisco soma duas exortações apostólicas, duas encíclicas e 46 cartas apostólicas, sendo 18 delas, Motu Proprio. A primeira exortação do Santo Padre, intitulada “Evangelii Gaudium”, de novembro de 2013, foi destinada ao clero, aos consagrados e aos leigos e tem como centralidade o anúncio do evangelho no mundo atual.
Na exortação, o Pontífice desenvolve o tema da “alegria do evangelho” e atribui a ela a capacidade de encher o coração e a vida daqueles que se encontram com Jesus. “Quantos se deixam salvar por Ele são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento. Com Jesus Cristo, renasce sem cessar a alegria”, observou Francisco no início do documento que convida os fiéis a uma nova etapa evangelizadora.
Dedicada ao amor na família, a segunda exortação do Santo Padre, “Amoris Laetitia”, foi publicada em março de 2016 em meio a constatação de numerosas crises no matrimônio, observadas por padres sinodais. O documento, surgiu segundo Francisco, como resposta ao anseio e desejo entre os jovens de que a instituição família permaneça viva. “O anúncio cristão sobre a família é verdadeiramente uma boa notícia”, frisou o Papa.
À encíclica “Lumen Fidei”, considerada a primeira encíclica e o primeiro documento de Francisco enquanto Papa, é atribuída a marca da transição do papado de Bento XVI. O documento que trata sobre a luz da fé, é de autoria conjunta do Papa Emérito Bento XVI e do Papa Francisco, e busca recuperar o caráter de luz específica da fé, capaz de iluminar a existência humana. A segunda encíclica, de cunho ecológico, a “Laudato Si” (2015), foi enfatizada pelo Papa como um documento de cunho social. Focada na “conversão ecológica”, a encíclica pede cuidado com a casa comum e apela a uma mudança no estilo de produção e consumo.
As 18 cartas apostólicas Motu Proprio se dividem em temas que afligem o clero, como renúncia por motivo de idade, código de direito canônico, comunicação, dicastérios, reformas, prevenção e combate à lavagem de dinheiro, e aprovação de estatutos. Assuntos ligados à família e ao matrimônio também foram dissertados.

Fonte: Canção Nova

Oitava da Páscoa - Sexta-feira

Evangelho (Jo 21,1-14)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus apareceu de novo aos discípulos, à beira do mar de Tiberíades. A aparição foi assim: 2Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e outros dois discípulos de Jesus.
3Simão Pedro disse a eles: “Eu vou pescar”. Eles disseram: “Também vamos contigo”. Saíram e entraram na barca, mas não pescaram nada naquela noite. 4Já tinha amanhecido, e Jesus estava de pé na margem. Mas os discípulos não sabiam que era Jesus. 5Então Jesus disse: “Moços, tendes alguma coisa para comer?” Responderam: “Não”.
6Jesus disse-lhes: “Lançai a rede à direita da barca, e achareis”. Lançaram pois a rede e não conseguiam puxá-la para fora, por causa da quantidade de peixes. 7Então, o discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: “É o Senhor!” Simão Pedro, ouvindo dizer que era o Senhor, vestiu sua roupa, pois estava nu, e atirou-se ao mar.
8Os outros discípulos vieram com a barca, arrastando a rede com os peixes. Na verdade, não estavam longe da terra, mas somente a cerca de cem metros. 9Logo que pisaram a terra, viram brasas acesas, com peixe em cima, e pão. 10Jesus disse-lhes: “Trazei alguns dos peixes que apanhastes”.
11Então Simão Pedro subiu ao barco e arrastou a rede para a terra. Estava cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes; e, apesar de tantos peixes, a rede não se rompeu. 12Jesus disse-lhes: “Vinde comer”. Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar quem era ele, pois sabiam que era o Senhor.
13Jesus aproximou-se, tomou o pão e distribuiu-o por eles. E fez a mesma coisa com o peixe. 14Esta foi a terceira vez que Jesus, ressuscitado dos mortos, apareceu aos discípulos.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Oitava da Páscoa - Quarta-feira

Evangelho (Lc 24,13-35)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

13Naquele mesmo dia, o primeiro da semana, dois dos discípulos de Jesus iam para um povoado chamado Emaús, distante onze quilômetros de Jerusalém. 14Conversavam sobre todas as coisas que tinham acontecido.
15Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles. 16Os discípulos, porém, estavam como que cegos, e não o reconheceram. 17Então Jesus perguntou: “Que ides conversando pelo caminho?” Eles pararam, com o rosto triste, 18e um deles chamado Cléofas, lhe disse: “Tu és o único peregrino em Jerusalém que não sabe o que lá aconteceu nestes últimos dias?”
19Ele perguntou: “Que foi?” Os discípulos responderam: “O que aconteceu com Jesus, o Nazareno, que foi um profeta poderoso em obras e palavras, diante de Deus e diante de todo o povo. 20Nossos sumos sacerdotes e nossos chefes o entregaram para ser condenado à morte e o crucificaram. 21Nós esperávamos que ele fosse libertar Israel, mas, apesar de tudo isso, já faz três dias que todas essas coisas aconteceram! 22É verdade que algumas mulheres do nosso grupo nos deram um susto. Elas foram de madrugada ao túmulo 23e não encontraram o corpo dele. Então voltaram, dizendo que tinham visto anjos e que estes afirmaram que Jesus está vivo. 24Alguns dos nossos foram ao túmulo e encontraram as coisas como as mulheres tinham dito. A ele, porém, ninguém o viu”.
25Então Jesus lhes disse: “Como sois sem inteligência e lentos para crer em tudo o que os profetas falaram! 26Será que o Cristo não devia sofrer tudo isso para entrar na sua glória?” 27E, começando por Moisés e passando pelos Profetas, explicava aos discípulos todas as passagens da Escritura que falavam a respeito dele.
28Quando chegaram perto do povoado para onde iam, Jesus fez de conta que ia mais adiante. 29Eles, porém, insistiram com Jesus, dizendo: “Fica conosco, pois já é tarde e a noite vem chegando!” Jesus entrou para ficar com eles. 30Quando se sentou à mesa com eles, tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e lhes distribuía.
31Nisso os olhos dos discípulos se abriram e eles reconheceram Jesus. Jesus, porém, desapareceu da frente deles. 32Então um disse ao outro: “Não estava ardendo o nosso coração quando ele nos falava pelo caminho, e nos explicava as Escrituras?” 33Naquela mesma hora, eles se levantaram e voltaram para Jerusalém onde encontraram os Onze reunidos com os outros. 34E estes confirmaram: “Realmente, o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!” 35Então os dois contaram o que tinha acontecido no caminho, e como tinham reconhecido Jesus ao partir o pão.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

terça-feira, 3 de abril de 2018

SEMANA SANTA 2018: Vigília Pascal

SEMANA SANTA 2018: Espetáculo ´´Paixão de Cristo``

Oitava da Páscoa - Terça-feira

Evangelho (Jo 20,11-18)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 11Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando. Enquanto chorava, inclinou-se e olhou para dentro do túmulo. 12Viu, então, dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.
13Os anjos perguntaram: “Mulher, por que choras?” Ela respondeu: “Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram”. 14Tendo dito isto, Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé. Mas não sabia que era Jesus. 15Jesus perguntou-lhe: “Mulher, por que choras? A quem procuras?” Pensando que era o jardineiro, Maria disse: “Senhor, se foste tu que o levaste dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar”.
16Então Jesus disse: “Maria!” Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: “Rabuni” (que quer dizer: Mestre). 17Jesus disse: “Não me segures. Ainda não subi para junto do Pai. Mas vai dizer aos meus irmãos: subo para junto do meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”. 18Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: “Eu vi o Senhor!”, e contou o que Jesus lhe tinha dito.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.